Me VISITEM no DIRECTORY e Participem Tambem!

terça-feira, 1 de maio de 2012

Perdendo a Cabeça!



FOTO: GOOGLE

Perdi minha cabeça
quando comecei
a escrever...
Entre sonhos e devaneios,
perdi-me nas entrelinhas.
Quando comecei a escrever,
meus olhos viviam cansados,
tristes e melancólicos.
Pois quando terminava,
meus versos, minha poesia,
sempre estava assim...
Solitário!
Vejo-me agora em meus
escritos e não me reconheço.
Abomino tudo que leio
naquelas paginas. Naquele livro.
Não são meus... Não sei quem os escreveu.
São versos inacabados
falando de um passado
triste e vazio...
Não! Eu repito: este ser
aí da capa, não sou eu!
Sempre fui feliz, sorridente.
Jamais me tornaria isso:
um ser estático, sem brilho.
Um retrato morto e sem cor.
Não escrevi a minha vida,
nessas paginas mau escrita.
Revelei-me. Mostrei-me,
  mas mesmo assim, ainda afirmo:
Não sou eu, este ser
de olhar sofrido.
Sem brilho. Sem viço!
Perdi minha lucidez,
quando comecei a escrever...
Sobre noites de insônia.
Sobre dores e amores.
Sobre aquilo que nunca soube.
Não! Eu repito...
Não é meu este rosto!
Este ser estranho,
que perdeu a cabeça,
quando começou a escrever...
Sobre tudo...Sobre meu mundo!

Rosa Azul

11 comentários:

  1. Escrever é para além de tudo mais, um ato de muita coragem.É abrir as portas e vez ou outra dar de cara com um cadáver esquecido dentro do armário...mas deixa o sol entrar...

    Gostei muito do poema.

    Beijinhos.

    ResponderExcluir
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O que ele quis dizer
      ficou para ser dito.





      .

      Excluir
  3. .


    Oba, tiraram a mordaça da gente!
    Ih, agora não tenho o que dizer...

    Um beijo,

    Palhaço Poeta







    .

    ResponderExcluir
  4. Sensacional Simone, me vi neste texto. Levando pra casa.

    Beijos poetisa!

    ResponderExcluir
  5. SEMPRE QUERIDA...AMIGA!
    Evanir disse... A amizade, nasce e cresce como flor, mas para ela viver,devemos cultivar com amor. Rega-la a cada amanhecer. Manter a sinceridade sempre Não quero sua amizade por um unico Dia. E sim para toda vida. Depois da flor vem a semente. Vamos planta-la. Nossa amizade enraizada. Até o fim da nossa jornada. beijos meus,Evanir. 14 de junho de 2011 08:30
    Amada fico feliz da vida toda vez que venho no seu blog e vejo essa mensagem na lateral do seu blog.
    Sinto -me acarinhada por você seu gesto de carinho foi o melhor presente recebido na vida .
    Quem viver vera o tamanho do orgulho que tenho de ser sua amiga.
    E hoje estou com as mãos dodói vou levar essa cola nas visitas.
    Amada por favor me manda seu email preciso muito de você.
    Deus abençoe seu dia paz amor e luz.
    Sua amiga pra sempre ,Evanir.
    Obs: veja a foto da minha postagem creio que vai amar ver.

    ResponderExcluir
  6. Não ser boa ideia a cabeça perder
    Para com a sua inteligência
    Lindos poemas poder escrever
    Numa desenvolvida e perfeita permanência
    Que seus versos de amor muito gosto de ler
    Escreva muitos mais Rosa Azul
    Sempre com o dom da alegria
    No centro, no norte ou no sul
    Tem mais valor a sua simpatia...

    Boa quarta-feira para você amiga Simone MartinS2,
    Um abraço
    Eduardo.

    ResponderExcluir
  7. Pois é Simone Poetisa, ficou chique bem...rsrsrsr....Beijosss Querida!

    ResponderExcluir
  8. Lindo!Amei! Somos seres inacabados.Todos os nossos versos são momentos.Vida é movimento.Em tudo que escrevemos tem um pouco de nós em épocas e momentos únicos.
    Bjs no coração Eloah

    ResponderExcluir
  9. .


    É assim que eu conheço você;
    vai entrando, abrindo a ge-
    ladeira e ainda dentro dela
    pergunta como vão as coisas
    para do mesmo jeito que en-
    trou bater atrás de si a
    porta e ir embora, deixando
    no ar a certeza da inteligen-
    cia e da amizade.

    Te adoro, sabia?

    Palhaço Poeta






    .

    ResponderExcluir

Nesse blog., te deixo a vontade para escrever o que quiser, afinal, este é meu lado negro...kkkkk...só tome cuidado, pois outras pessoas irão ler tambem. Obrigado